Argentina: senado aprova por unanimidade (e sem debate), uso de cannabis medicinal

A Argentina se junta a Colômbia, Chile e Uruguai, que já regulam o uso dessa substância para fins médicos. A votação durou três minutos.

O debate não foi necessário. Processado expressamente, por unanimidade com 58 votos a favor, o que para muitos esse seria um avanço histórico, o Senado argentino, criou uma lei que possibilita o uso de cannabis medicinal, lançado no país pesquisas médicas e científicas sobre o assunto, e garante livre acesso ao óleo extraído da planta, que inicialmente será importado dos Estados Unidos.

Distintas organizaciones se acercaron hoy al Congreso para presenciar la sesión en la que se aprobó el uso de cannabis medicinal en la Argentina. Foto: REUTERS/Marcos Brindicci
Diferentes organizações vieram ao Congresso hoje para participar da sessão na qual o uso de cannabis medicinal foi aprovado na Argentina. Foto: REUTERS / Marcos Brindicci

No Senado, onde a sessão seguiu, começaram a surgir aplausos e abraços entre os familiares de pacientes que sofrem de doenças dramáticas e são usuários de óleo de cannabis. E foram determinantes para atrair a atenção dos setores da comunidade médica e científica, que defendem seu uso terapêutico.

A lei estabelece um marco regulatório para pesquisas médicas e científicas sobre o uso medicinal, terapêutico e paliativo da dor da planta de cannabis e seus derivados. Para isso, um Programa Nacional é criado pelo Ministério da Saúde da Argentina.

O auto-cultivo de cannabis para produzir o próprio óleo é reivindicado por associações como “Mama Cultiva”, que foi excluída dessa nova lei e, portanto, permanecerá ilegal. A questão do auto-cultivo (sem autorização legal) foi tema central dos debate, nos últimos meses.

A oposição continuará exigindo, mas o mesmo vale para o projeto do governo de ‘Cambiemos’, mais “restritivo”, também considerado um avanço formidável.

Valeria Salech, presidente da Mama Cultiva, explicou ao Clarín que o ‘petróleo’ importado, em muitos casos, não lhes deu o mesmo resultado que o que produzem, então ela previu que eles continuarão a cultivar plantas de cannabis. Muitos legisladores alertaram para a necessidade de lhes darem proteção legal que hoje, apesar da lei, não encontram.

Leia mais na reportagem do Clarín sobre a vitória Argentina, em favor do uso de Cannabis Medicinal: https://www.clarin.com/sociedad/amplio-consenso-ley-uso-aceite-cannabis-medicinal_0_By1n39Ynx.html

Fonte: Clarín

Creative Commons License AttributionRepublish

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Nosso conteúdo

Como forma de respeito a todos os conteudistas e leitores, referenciamos nossas fontes de informação colocando seus links. Além disso, sabemos que isso facilita as pesquisas de estudantes, professores, pesquisadores, empreendedores, profissionais e, dessa forma, o ecossistema se fortalece como um todo. \o/
Licença de uso
CC BY

Utilizamos a licença Creative Commons CC-BY (Atribuição 4.0 Internacional), ou seja, resumidamente, qualquer um pode:

Compartilhar: copiar e redistribuir o conteúdo de nossas postagens em qualquer meio e formato;
Adaptar: editar, remixar, transformar, e construir a partir de nossas postagens com qualquer propósito, até mesmo comercial.

Sob o seguinte termo:

Atribuição: ao utilizar (compartilhar/adaptar) o conteúdo de nossas postagens, seja para encontrar novas fontes de conteúdo, o responsável deve dar os devidos créditos ao nosso canal, referenciando-o com o link para o material consultado.

Essa licença está entre as mais abertas e é aprovada pelo Free Cultural Works, ou seja, é uma licença que está de acordo com as liberdades essenciais de uso, compartilhamento e edição de conteúdo

License

Creative Commons License AttributionCreative Commons Attribution
Argentina: senado aprova por unanimidade (e sem debate), uso de cannabis medicinal