Kannamed: ‘liberdade de escolha, qualidade e democracia para o mercado brasileiro’, diz Rosato

Por Eliézer Dias e Thiago Ermano – 04 de setembro de 2019

Em uma entrevista intensa e livre de coloquialismos, o CVO da Kannamed, Rodolfo Rosato, conta como aprendeu sobre a planta da Cannabis e critica a indústria e profissionais que não oferecem retorno social à causa da Cannabis Medicinal no Brasil. Ácido, intenso e conectado com o ‘olhar do paciente’, Rosato apontou tendências ao Green Science Times. Acompanhe:

GST: Como entrou no mercado da Cannabis Medicinal? Conte um pouco sobre sua trajetória e motivações para atuar em uma área tão nova e cheia de proibições.

RR: Foi muito pessoal. Quem atua nessa área ou ama a planta ou tem apenas um puta olho grande. Fato! Não tem meio termo. Você só toma porrada por amor ou dinheiro. E nesse mercado a gente toma muita porrada.

Eu conheço a Cannabis Medicinal há mais de 20 anos. Sempre gostei de saber de tudo, sabe. Então, a muito, muito tempo atrás (em uma galáxia muito, muito distante rs), quando me apresentaram o primeiro baseado, fui ler tudo sobre aquilo antes de colocar a “erva do demônio” na minha boca. Vai que eu ficava demente?

Na época, não achei quase nada… não tinha Google, né. Mas fui atrás e o que achei foi justamente alguns livros sobre a parte medicinal. Cara, aquilo me abriu os olhos. Fui um adolescente chato pra caramba. Nunca fui um ativista, atuava mais como um catequista, uma pessoa de cada vez.

Dava os livros para os pais de amigos meus que vinham falar sobre maconha. “Lê aqui ó, aí ficaremos no mesmo nível para a conversa”. Sou muito pacifico, um puta pacifista convicto, mas o cara chegar com o copão de whisky na mão para falar que “essa merda vai te matar, moleque”, aí eu não aguento.

E aí, há algum tempo, comecei a acompanhar o que estava acontecendo no nosso mercado. Cara, fiquei puto. Comecei a pensar em como eu podia melhorar isso. Falei com todas as empresas sérias que estavam aqui no Brasil. Nenhuma se interessou pelo meu trabalho. Não tive dúvidas, larguei tudo e fui criar a Kannamed.

Fui atrás das melhores, não dos maiores, mas das melhores marcas dos Estados Unidos. Os caras que fizeram o mercado lá. Empresas que lideram o movimento pela qualidade dos produtos. Gente séria para cacete.

E trouxe elas para cá. Sem alarde, sem pegar grana no mercado. Sem ceder uma única vírgula naquilo que a gente acredita. Somos independentes e trabalhamos com amor. Foi o que te disse da marca que retiramos do site, sabe?

Liberdade de agir de acordo com o que a gente acredita. Sem amarras ou motivações obscuras por trás. E poder melhorar a vida de pelo menos uma pessoa já vai fazer tudo isso valer a pena.

Produtos que utilizam canabidiol em sua formulação estão disponíveis no site da Kannamed

GST: Rodolfo, hoje é possível se comprar (legalmente) o óleo de canabidiol e produtos à base de CBD no Brasil?

RR: Totalmente! E muito recomendado! É mais fácil e muito mais barato do que pintam por aí. O processo da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é lento? Sim, mas não é nada demais. Passada a burocracia, a compra é ágil e indolor.

GST: Quais tipos de soluções as empresas importadoras e com autorização estão fornecendo para os consumidores/pacientes brasileiros?

RR: Aí posso falar apenas por minha empresa. Hoje, a Kannamed possibilita aos médicos e pacientes brasileiros a possibilidade de escolher entre os melhores produtos do mundo. E essa é a nossa missão.

O paciente paga menos por um produto muito melhor do que os que já estavam por aqui, e parcelado! A gente veio para democratizar um pouco o mercado. Baixamos os preços e aumentamos muito o nível de qualidade.

Quer um exemplo? Minha equipe recebeu um pedido de alteração na ANVISA de um paciente que estava pagando US$ 109 por um determinado produto. Após se consultar com outro médico, que indicou um produto da nossa linha, esse mesmo paciente vai pagar agora US$ 49,99 por um produto infinitamente melhor. Pô, é a metade do preço!

É muito lindo, moderno e midiático falar em plataforma de conexão, acesso, inovação. A Kannamed é sim tudo isso, mas o que esses caras querem é poder comprar um remédio sem ter que vender a alma. Simples assim. Essa é a principal solução que a Kannamed trouxe: liberdade de escolha, qualidade e democracia para o mercado brasileiro.

CBD Sintetizado: Em destaque, presidente da companhia farmacêutica apoiada pelo Governo Federal para produzir e fornecer no Brasil canabidiol sintético; cientistas protestam e garantem que molécula sintética não faz bem à saúde e não atinge o efeito entourage, necessário em tratamentos, tais como em casos neurológicos, epilepsia refratária, etc.

GST: Fala-se muito das diferenças entre o óleo de canabidiol sintético x óleo de Cannabis in natura, extraído direto da planta. Quais são as diferenças e os resultados de ambas em tratamentos de saúde?

RR: Todas! Rsrs. Nada sintético é melhor do que o produto natural. Nunca será! Ainda mais quando falamos de maconha. O nosso organismo responde e se conecta à planta de uma maneira holística. É um “processo mágico” o que ocorre.

No nosso planeta você tem uma planta desenhada pelo ‘universo’, feita para se conectar diretamente com todos os animais que aqui habitam. E isso é lindo e único. Alguém achar que o ser humano pode reproduzir a criação do universo é de uma soberba absurda.

A Kannamed é contra a maconha sintética, totalmente! Inclusive, descredenciamos recentemente uma empresa do nosso canal, porque descobrimos que a matriz realiza pesquisas e desenvolvimento de Cannabis sintética. Porra, bicho. Caiu. Retiramos na hora.

A gente é “Walk the Talk” aqui. Não tem essa de “aaa, mas e se…” Não! Sem bullshit…  Nós temos nossas convicções éticas muito enraizadas na cultura de nossa empresa. Tenho visto muita gente no mercado defendendo o sintético. Gente que já ganha muito dinheiro no mercado de Cannabis no Brasil e me pergunto: qual a real motivação dessa gente?

GST: Sobre negócios: como é atuar no mercado da Cannabis brasileira, mesmo sem ter apoio de uma cadeia produtiva, com o Estado de ‘olho’ e a relação com o ecossistema nascente?

RR: Aaaa cara… Ai é onde a coisa pega. Se tem um mercado que tem uma “fauna” diversa e muitas vezes perversa, é esse mercado. Não só aqui viu, no mundo todo. Tem de tudo. E só ai já dava uma longa entrevista… Sobre o Governo, pode surpreender o que vou dizer, mas eu acredito que vamos ter muitas mudanças positivas ainda esse ano.

Se a esquerda tem a ideologia, a direita foi quem regulamentou o mercado na maior parte do mundo. Os caras estão se lixando para ideologia. Eles sabem fazer as contas: dinheiro + empregos = votos! Simples. E a ANVISA está de parabéns! Pô, os caras colocaram a cara a tapa mesmo. Vão com certeza avançar muito nesse ano.

Claro que o modelo que criaram para o cultivo aqui já veio contaminado por quem o escreveu, mas aí muita água ainda vai passar por baixo da ponte até a primeira semente ir ao solo.

Agora, sobre o ecossistema do mercado… bom, respira né. Tem muita, muita gente boa, muita gente realmente iluminada. Nas Associações, ONG´s, sites, empresas, e em muitas iniciativas pessoais. Mas, infelizmente, tem muita gente podre por ai. Não ligam a mínima para nada. Cara, não podemos brincar com isso. Estamos falando de vidas! O negócio é sério. Fico enojado de ver o que certas empresas e pessoas fazem no atual mercado.

Não se pode brincar com a vida dos outros. Não é mercado para ficar especulando, buscando crescimento financeiro de ações da matriz canadense. Se fazendo promessas falsas e vazias, e se vendendo cura! Porra, meu! Tem empresa falando para paciente terminal para assinar um gordo cheque que aquilo ali vai te curar. Não pode isso.

Gente, não podemos afirmar que o CBD, o THC ou as outras centenas de canabinóides vão te curar! Nunca podemos fazer tal afirmação. Te ajuda? Sim! Tem gente que realmente ficou livre daquilo que a afligia, inclusive doenças muito severas? Milhões! Legal… Mas vai me ajudar? Não sei. Experimenta, porque vale a pena. Isso é o que a gente tem que falar. Essa é verdade.

E tem muita desinformação circulando. Tem gente por ai que continua a demonizar o THC quando ele é o grande remédio em diversos casos. Parafraseando uma médica brasileira e uma das mais importantes pesquisadoras, do mundo, no assunto; “Senta a bunda e estuda!”.

Eu, e aí falo como pessoa, amo essa planta. Já vi coisas incríveis, resultados onde os pacientes estavam desenganados mesmo. Acho que vai ser a maior revolução da história da medicina. E é aí também que o bicho pega, pois as empresas e pessoas que mais aparecem na mídia são justamente as pessoas e empresas que estão ali porque tem dinheiro e não porque estão realmente fazendo um trabalho.

Aliás, grande parte dos “queridinhos” da mídia, não fizeram rosca até agora a não ser pagar pauta e ganhar dinheiro.

Minha sorte e que eu conto com uma baita equipe e com meu sócio, o Felipe, que além de COO da empresa é também o nosso Chief Spiritual Officer, um puta cara iluminado, que sempre me traz para a realidade e coloca a gente no caminho da paz de espírito. Aliás, me matriculei essa semana em uma aula de Yoga.

* Entrevista cedida exclusivamente ao site Green Science Times

Creative Commons License AttributionRepublish

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Nosso conteúdo

Como forma de respeito a todos os conteudistas e leitores, referenciamos nossas fontes de informação colocando seus links. Além disso, sabemos que isso facilita as pesquisas de estudantes, professores, pesquisadores, empreendedores, profissionais e, dessa forma, o ecossistema se fortalece como um todo. \o/
Licença de uso
CC BY

Utilizamos a licença Creative Commons CC-BY (Atribuição 4.0 Internacional), ou seja, resumidamente, qualquer um pode:

Compartilhar: copiar e redistribuir o conteúdo de nossas postagens em qualquer meio e formato;
Adaptar: editar, remixar, transformar, e construir a partir de nossas postagens com qualquer propósito, até mesmo comercial.

Sob o seguinte termo:

Atribuição: ao utilizar (compartilhar/adaptar) o conteúdo de nossas postagens, seja para encontrar novas fontes de conteúdo, o responsável deve dar os devidos créditos ao nosso canal, referenciando-o com o link para o material consultado.

Essa licença está entre as mais abertas e é aprovada pelo Free Cultural Works, ou seja, é uma licença que está de acordo com as liberdades essenciais de uso, compartilhamento e edição de conteúdo

License

Creative Commons License AttributionCreative Commons Attribution
Kannamed: ‘liberdade de escolha, qualidade e democracia para o mercado brasileiro’, diz Rosato