Pesquisadora defende regulamentação da Cannabis Medicinal: ‘Temos que saber o que o paciente está tomando’

Na próxima terça-feira (8), quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) julgar se regulamenta o cultivo e o registro de medicamentos de cannabis medicinal, a pesquisadora Margarete Akemi torcerá pela aprovação.

“Precisa regulamentar, para não ficar esse mercado paralelo, para a gente ter certeza do que o paciente está tomando”, afirma a professora de Farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e coordenadora de fitoterápicos no Conselho Federal de Farmácia.

Akemi alerta para os riscos de uma produção sem controle rígido: “A produção caseira é bem complicada. Às vezes recebo vidrinhos de pacientes sem identificação alguma. É tipo uma corrente da felicidade”.

A especialista dá um recado para quem é contra o uso do medicamento, entre os quais o ministro da Cidadania e o presidente da República: “Vai estudar um pouquinho. Tira esse preconceito”.

Leia a entrevista: https://epoca.globo.com/guilherme-amado/pesquisadora-defende-regulamentacao-da-cannabis-medicinal-temos-de-saber-que-paciente-esta-tomando-23998156

Creative Commons License AttributionRepublish

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Nosso conteúdo

Como forma de respeito a todos os conteudistas e leitores, referenciamos nossas fontes de informação colocando seus links. Além disso, sabemos que isso facilita as pesquisas de estudantes, professores, pesquisadores, empreendedores, profissionais e, dessa forma, o ecossistema se fortalece como um todo. \o/
Licença de uso
CC BY

Utilizamos a licença Creative Commons CC-BY (Atribuição 4.0 Internacional), ou seja, resumidamente, qualquer um pode:

Compartilhar: copiar e redistribuir o conteúdo de nossas postagens em qualquer meio e formato;
Adaptar: editar, remixar, transformar, e construir a partir de nossas postagens com qualquer propósito, até mesmo comercial.

Sob o seguinte termo:

Atribuição: ao utilizar (compartilhar/adaptar) o conteúdo de nossas postagens, seja para encontrar novas fontes de conteúdo, o responsável deve dar os devidos créditos ao nosso canal, referenciando-o com o link para o material consultado.

Essa licença está entre as mais abertas e é aprovada pelo Free Cultural Works, ou seja, é uma licença que está de acordo com as liberdades essenciais de uso, compartilhamento e edição de conteúdo

License

Creative Commons License AttributionCreative Commons Attribution
Pesquisadora defende regulamentação da Cannabis Medicinal: ‘Temos que saber o que o paciente está tomando’